Como usar a equalização subtrativa mais eficiente

Quer mixar melhor?

Preparei um guia com dicas simples e eficientes que vão mudar o jeito que você mixa.

Inscreva-se na minha newsletter e receba esse guia como presente de boas-vindas!

Não mandamos spam. Você pode deixar de receber nossos emails a qualquer hora. Powered by ConvertKit
Equalização é uma das ferramentas mais poderosas na mixagem. Infelizmente, não é tão fácil descobrir qual equalização é certa, especialmente se você está começando trabalhar com mixagem ou masterização. Porém, usando a varredura de frequências podemos equalizar faixas rapidamente. No final do post tem um vídeo que mostra a técnica em ação, melhorando a interação entre um loop de bateria, baixo e guitarra.

Equalização subtrativa

Ao equalizar temos sempre duas opções: ou aumentar as frequências agradáveis (equalização aditiva) ou reduzir as frequências desagradáveis. Quem quer saber mais sobre a diferença entre estes dois métodos por favor siga este link. Neste post, vamos falar somente sobre a equalização subtrativa.

 

Equalização - Manley EQ

Desconstruindo a resposta de frequência

Cada mixagem tem seus problemas particulares. Talvez alguns harmônicos do violão tragam um caráter muito agressivo. Os graves e médio-graves da guitarra distorcida brigam com o baixo. A bateria soa ‘embolada’ e você precisa tirar um pouco de ‘lama’. Em todos estes casos o primeiro passo é encontrar as frequências problemáticas:
  • Insira seu equalizador favorito na faixa. Para os melhores resultados ele deve ser um equalizador paramétrico, ou seja, ter controle sobre ganho, frequência e largura de todas as bandas. No post e no vídeo eu uso o EQ3 da Avid - outros exemplos de equalizadores são o Q10 ou o REQ6 da Waves ou os equalizadores do Alloy ou Ozone da iZotope.
  • Aumente o ganho de uma banda bastante (+10 dB) e deixe a banda um pouco mais estreita.
  • Agora varie a frequência lentamente, começando em 20 Hz e indo até 20 kHz. Cada vez que você encontra uma região na qual um caráter indesejável surge por causa deste tratamento, anote a frequência. Músicos e técnicos inventaram uma multidão de palavras para estas caraterísticas como lama (~300 Hz), ronco (~40 Hz) ou metálico (~1-2 kHz) - invente a sua!

Tire a lama

Agora que você encontrou as frequências problemáticas, use os controles do seu equalizador para reduzir cada uma delas. Muito cuidado com o ajuste de ganho nesta hora! Uma redução de 6 dB deve trazer resultados óbvios, mas muitas vezes uma equalização mais suave combina melhor com a mix. Também existe uma ampla diferença entre os vários equalizadores no mercado. O mesmo ajuste no EQ3 ou no Q10 vai trazer resultados diferentes.
E tem uma outra dica: Quando você procurou as frequências problemáticas, você deixou a banda mais estreita. Na hora de reduzir o ganho, deixe a banda mais larga. O ouvido humano gosta de mudanças suaves, então uma equalização com picos e vales mais amplos do que estreitos geralmente soa mais agradável.

Tire o solo!

Quando você faz a varredura de frequências provavelmente você está solando a faixa. Isso é bom para ouvir os detalhes íntimos do instrumento, mas sempre lembre que qualquer processamento deve ser verificado no contexto da mixagem. Ou seja, depois de reduzir o ganho das frequências ofensivas, tire o solo e verifique se a mixagem fica melhor depois deste tratamento.
Por hoje é isso, como sempre espero que você tenha gostado da dica.
Ah, e lembra: There is no spoon...
Posted in Áudio, Mixagem and tagged , , , , , , .