Desmistificando compressão paralela em um post só

Compressão é uma ferramenta fantástica quando a questão é dominar a dinâmica. Infelizmente, dependendo do compressor usado, e do grau de compressão aplicada, o processamento pode mudar as características sonoras do seu material.
 
Não seria fantástico ter um compressor que soe menos agressivo, mas ainda assim consiga reduzir a faixa dinâmica do jeito que você quer?
 
Abram alas para a compressão paralela!

O que é compressão paralela?

Compressão paralela mistura um sinal limpo com outro que é uma versão altamente comprimida do original.
Compressão paralela - parallel compression
Exemplo de compressão paralela - som original e som comprimido antes de somar

 

Acima vemos duas ondas sonoras: A versão "crua" (sem compressão) e uma versão intensamente comprimida. Observe que no áudio comprimido, os transientes foram muito esmagados.

Vamos somar esses dois sinais

Agora tente imaginar o que acontece quando você mistura essas duas ondas sonoras. Podemos pensar em dois cenários:

Primeiro cenário: Áreas com transientes de alto volume

Em pontos com transientes muito chamativos, o elemento a se considerar é o sinal não-comprimido, uma vez que o ganho dos transientes no sinal comprimido foi drasticamente reduzido. Então juntar esses dois áudios nos pontos com os maiores transientes, basicamente resulta no sinal original (não-comprimido).

Segundo cenário: Áreas com baixo volume

Ao contrário, em pontos em que não temos transientes, o sinal comprimido vai contribuir significativamente ao áudio. Lembre-se que o compressor, basicamente, esmaga os transientes, mas em áreas de baixo volume ele atua menos.

O resultado

Resumindo:
  • Para as partes da onda sonora com transientes barulhentos o sinal comprimido não contribui muito. Não há aumento de ganho significativo;
  • Para as partes silenciosas da onda sonora, o sinal comprimido faz uma contribuição muito palpável ao sinal. Então, há um aumento de ganho significativo.
O resultado é um aumento de volume nas partes silenciosas sem muita mudança nas partes de alto volume.
 
Veja abaixo a onda sonora do som original e do som com compressão paralela aplicada.
 
Compressão paralela - som original e com compressão paralela

 Por que isso é melhor que a compressão comum (downward compression)?

Uma vez que transientes barulhentos geralmente são associados a perigo, nosso cérebro evoluiu pra prestar atenção neles. Então qualquer modificação de um transiente será percebida rapidamente, mesmo que não seja possível definir exatamente a diferença entre sinais comprimidos e não-comprimidos. Por outro lado, nosso cérebro presta menos atenção ao material de fundo (com baixo volume), então se alterarmos isso e mantivermos os transientes intactos, o resultado vai ser uma redução mais natural da faixa dinâmica.

Vamos ouvir?

Neste MP3 você ouve um loop de bateria, alternando entre o som original e o som com compressão paralela.
 
Ufa, isso foi bastante... Espero que gostou da explicação de compressão paralela! Quem gosta de YouTube pode assistir um vídeo explicando como configurar compressão paralela aqui. E para quem quer ler mais, tenho um post que explica como configurar os parâmetros da compressão paralela aqui.
 
Até a próxima!
 
Norbert

Quer mixar melhor?

Preparei um guia com dicas simples e eficientes que vão mudar o jeito que você mixa.

Inscreva-se na minha newsletter e receba esse guia como presente de boas-vindas!

Não mandamos spam. Você pode deixar de receber nossos emails a qualquer hora. Powered by ConvertKit
Posted in Compressão, Mixagem and tagged , , .