Como tirar o melhor take

Quer mixar melhor?

Preparei um guia com dicas simples e eficientes que vão mudar o jeito que você mixa.

Inscreva-se na minha newsletter e receba esse guia como presente de boas-vindas!

Não mandamos spam. Você pode deixar de receber nossos emails a qualquer hora. Powered by ConvertKit
Quem trabalha com artistas sabe que cada um tem sua personalidade, suas necessidades, seus pontos fortes e fracos… e durante uma sessão de gravação é o nosso objetivo de abraçar tudo isso e conduzir a sessão para que o artista nos entregue o melhor take possível. Seguem algumas dicas da minha própria experiência para fazer isso.

Deixe o artista se sentir confortável

Isso engloba tudo desde a hora da chegada no estúdio, aquele bate-papo com cafezinho antes da gravação, e claro, sua interação com o artista durante a gravação. É importante lembrar que uma sessão de gravação sempre consta um ambiente de estresse: O músico está num ambiente controlado, com produtores e técnicos no outro lado do vidro falando coisas que ele não ouve (é só crítica construtiva, viu - claro!)… Então melhor deixar o músico se sentir em casa - talvez ligar um abajur, acender velas ou um incenso (sem por fogo no estúdio…), estas coisas. É essencial sempre ter água no alcance, especialmente para vocalistas!

É tudo na mix...

O retorno para o artista é um dos pontos mais importantes na gravação. A regra é simples:

Dê para o artista o que ele precisa para tocar bem!

Anote que ‘o que ele precisa’ é 100% o ponto de vista dele, não o do técnico. Se o baterista precisa um metrônomo tão alto que você consegue o ouvir ao entrar na sala de gravação - tudo bem. Se a vocalista precisa o retorno da voz dela no canal esquerdo, o instrumental no lado direito com um pouquinho de reverb no centro - faça acontecer. Uma dica muito importante - vocalistas geralmente afinam melhor com um reverb um pouco exagerado no retorno.

Vale a pena mencionar que bons fones fechados ajudam bastante nesta tarefa. Fones abertos geralmente produzem vazamento (especialmente do metrônomo). Alias, vazamento é o único ponto em qual nós podemos interferir no retorno do artista: Se o vazamento (especialmente do metrônomo) interfere na gravação, você pode perguntar se for possível baixar o volume. Mas lembra: O vazamento na última batida dos pratos pode ser evitado simplesmente desligando o metrônomo no último beat. Saber os atalhos para controlar o metrônomo é muito útil neste momento.

Avaliando a performance

Já falei no início deste post - cada um de nos é um indivíduo, e reagimos diferentemente quando estamos ‘behind the glass’. Existem talentos que consistentemente gravam com alta qualidade. Geralmente são profissionais com muitos anos na estrada e no estúdio. Neste caso basta gravar um ou dois takes e ser feliz.

Outros músicos precisam um certo tempo para aquecer. Neste caso é bom deixar o artista gravar alguns takes, constantemente avaliando a performance. Quando percebemos que a qualidade não melhora mais, é bom dar uma pausa ou ir talvez para gravar uma outra parte da música.

Ainda outros se sentem muito estressados no estúdio, e neste caso a performance pode cair com cada take. Neste caso é muito importante manter o artista feliz, e talvez chamar mais intervalos para quebrar a rotina.

Para o técnico que conduz a sessão é muito importante avaliar o perfil de cada músico e reagir apropriadamente.

Mostre serenidade

Mais um jeito de deixar artista e outros participantes como produtores se sentirem mais seguro é você mostrando serenidade e rapidez no seu trabalho. Procure saber tudo sobre o seu DAW que pode deixar a sessão fluir melhor como atalhos e configurações.

Criar o template da gravação antes da sessão também ajuda, e se você já importou a guia, configurou andamento e tempo e talvez já colocou as faixas necessárias para iniciar a gravação você pode ter certeza que artista e produtor vão gostar da sua iniciativa.

É isso por hoje, espero que vocês gostaram deste post. Até a próxima!

Posted in Áudio and tagged , , , .