Como configurar um compressor – like a boss

O compressor é uma das ferramentas mais utilizadas na produção musical. O objetivo principal dele é controlar a macro- e microdinâmica da sua mix. Especialmente para quem está começando a produzir, os parâmetros de um compressor podem parecer complicados.
Mas felizmente existe uma rotina que você pode seguir para configurar qualquer compressor - like a boss!

E esta rotina vou compartilhar contigo agora.

Como configurar um compressor - like a boss - LA-2A and 1176

Primeiramente vamos entender os parâmetros de um compressor com threshold variável

  • Threshold: O nível de áudio (em dB) acima do qual a compressão inicia. Sinais abaixo do threshold não estão sendo comprimidos;
  • Ratio (Taxa de compressão): A quantia de compressão aplicada em sons que ultrapassam o threshold. Taxas baixas (2:1), pouca compressão - taxas altas (10:1), muita compressão;
  • Make Up Gain (Ganho): Sons comprimidos geralmente têm menos volume do que os sons originais. Isso não é desejável pois depois de comprimir você precisa ajustar a posição do fader. Não seria legal fazer esse ajuste de ganho já dentro do compressor? O controle ‘make up gain’ faz exatamente isso. Depois de comprimir aumente esse parâmetro para deixar o volume do som comprimido com o mesmo volume percebido do que do som original;
  • Tempo de Attack / Release: Em inglês, esses controles também se chamam time constants. O tempo de attack define quanto tempo um compressor precisa para iniciar a compressão, assim que um sinal ultrapassa o threshold. O tempo de release define quanto tempo o compressor precisa para voltar para o ganho normal uma vez que o nível do sinal novamente cai abaixo do threshold.

Outros parâmetros que você pode encontrar

  • Knee (joelho): Define se a compressão começa mais agressivamente ou mais suavemente. Com ‘soft knee’ (joelho suave) a compressão começa um pouco abaixo do threshold escolhido, com uma taxa de compressão abaixo do valor definido. A taxa aumenta gradualmente até chegar no valor nominal um pouco acima do threshold. Compressores com ‘soft knee’ soam menos agressivos;
  • Model / Type (modelo): Compressores analógicos utilizam vários princípios para realizar o seu trabalho. Os compressores mais comuns são baseados em circuitos opto-eletrônicos, circuitos com transistores (field effect transistor, FET) ou com amplificadores controlados pela voltagem (voltage controlled amplifier, VCA). Você pode utilizar esse parâmetro para emular os vários circuitos, assim mudando a sonoridade do compressor.

Vamos ver como você pode ajustar todos esses parâmetros rapidamente

Configuração inicial - attack, release e knee

Coloque o threshold para 0 dBFS (ou o valor máximo possível) e a taxa de compressão para 1:1. Assim, o compressor não vai comprimir nenhum som. Agora configure attack, release e knee seguindo esses padrões:
  • Voz: Attack: 5-10 ms, Release: 500 ms / auto, Knee: soft;
  • Bateria / percussão: Attack: 1-5 ms, Release: 250 ms / auto, Knee: hard;
  • Violão: Attack: 10 ms, Release: 500 ms / auto, Knee: soft;
  • Guitarra elétrica: Attack: 5-10 ms, Release: 500 ms / auto, Knee: hard;
  • Cordas: Attack: 10 ms, Release: 500 ms / auto, Knee: soft.
Existe um padrão aqui, que você pode utilizar para definir parâmetros para instrumentos não listados:
  • Um attack lento deixa a compressão mais suave. Se você precisa comprimir um instrumento sem modificar muito a sua sonoridade, use um attack lento. Isso vai deixar os transientes intactos;
  • Um attack mais rápido ajuda você a conter melhor o material. Instrumentos com transientes muito fortes (bateria, percussão, baixo) talvez precisem de mais força na compressão. Nesse caso, reduza o attack. O compressor vai soar mais agressivo por que está modificando os transientes.
  • Um release médio (250 - 500ms) geralmente é um bom ponto de partida. A partir disso reduza o valor até o medidor de compressão pula no ritmo da música.
  • Por último… Um joelho suave (soft knee) deixa a compressão mais leve e invisível.

Agora use as seguintes sugestões para definir a taxa de compressão

  • Material que requer uma compressão sutil funciona bem com taxas entre 2:1 e 4:1;
  • Para material que requer um tratamento mais agressivo utilize taxas entre 5:1 e 10:1;
  • Lembre-se: Taxas menores deixam o compressor mais ‘invisível’.

Agora comprima!

Você está quase lá! Falta ajustar o threshold para definir a quantia de redução de ganho.
Agora é uma boa ideia olhar o medidor de redução de ganho do seu compressor!
Comece com 6 dB de redução de ganho e faça o ajuste dependendo da necessidade do instrumento. Para instrumentos que requerem uma compressão mais pesada você pode utilizar valores de 10 ou até 20 dB.
Por último aumente o make up gain para que o material comprimido e original tenham o mesmo volume percebido.
Importante: Evite clipar nesse ponto (olhe para as luzes vermelhas).

Isso é sua configuração inicial - agora avalie-a

Como com todos os processadores aplicados na mixagem você deve agora verificar se a compressão funciona na sua música. Junte todos os elementos (tire os 'solos' e 'mutes') e verifique se a dinâmica é mais suave e se o instrumento encaixa melhor na mix. Caso sim, well done!
Se você tem a impressão que a compressão está forte ou leve demais, trabalhe com threshold e ratio. Para modificar a sonoridade, ajuste attack, release e knee.
É isso! Com essa rotina você consegue configurar um compressor muito mais rapidamente - sem utilizar presets.

Considerações finais

Esse post é sobre configurar compressores para regular a dinâmica do seu material. Em outras situações, você talvez queira utilizar um compressor para adicionar impacto (punch) para seu instrumento.
Nesse caso você não está utilizando o compressor para ajustar somente a dinâmica. Você está utilizando-o para moldar a sonoridade do seu material. 
Nesse caso, talvez você queira aplicar mais compressão (hit it hard!) Lembre-se que a mais compressão você aplica, mais as características sônicas do próprio compressor vão aparecer.

Não exagere!

Tome cuidado com compressores. Sons comprimidos têm a tendência de soar melhor, porém, somente durante períodos curtos de exposição.
Escutar sons comprimidos para muito tempo deixa o ouvido cansado e o som fica desagradável. Lembre-se: Você sempre pode comprimir os sub-mixes. E também ainda tem a masterização!

É isso por hoje!

Obrigado por ter lido meu material. Se você quer aprender mais sobre compressão convido você a dar uma olhada no meu curso online Compressão Desmistificada. O botão abaixo leva você lá.

Até a próxima!

Quer mixar melhor?

Preparei um guia com dicas simples e eficientes que vão mudar o jeito que você mixa.

Inscreva-se na minha newsletter e receba esse guia como presente de boas-vindas!

Não mandamos spam. Você pode deixar de receber nossos emails a qualquer hora. Powered by ConvertKit
Posted in Compressão, Mixagem, Tutoriais and tagged , , , , , , , , , .