6 passos para aprender a pilotar seu sintetizador – sem ler o manual

Um riff de sintetizador icônico como a abertura de Jump precisa duas coisas para funcionar: uma melodia cativante e um timbre memorável. Se você quer que suas produções tenham o mesmo impacto, precisa saber como pilotar seu sintetizador e criar estes timbres inesquecíveis.

O problema: Criar um patch do zero parece difícil, e muitos arranjadores acabam usando presets.

E se existisse uma rotina fácil e divertida que ensina você a pilotar seu sintetizador, criando seus próprios patches… sem ficar horas pensando na teoria de osciladores, LFOs e mod envelopes?

Existe sim, e neste post vou compartilá-la contigo! 
Se você gosta do intro de Jump… o OB-Xd é um sintetizador gratuito que emula o Oberheim que Eddie usou. Rest in peace, suas músicas continuam a me inspirar.

1) Escolha o sintetizador certo

Todo trabalho de criação de timbre começa com a escolha do sintetizador certo. Com tantos sintetizadores disponíveis é muito importante saber o que precisa avaliar quando você está buscando o sintetizador ideal para sua produção. Estes quatro pontos são os mais importantes:

  • O timbre. Escute os presets e escolha o sintetizador que faz o som que você gosta!
  • A interface. Um bom sintetizador deveria ser fácil de manobrar. Plug-ins com muitas funções escondidas ou abas adicionais podem atrapalhar seu trabalho!
  • A complexidade. Se você está começando a mexer com sintetizadores, escolhe um sintetizador subtrativo simples. Não adianta tentar pilotar um Ferrari se você nem fez sua carteira de habilitação. Assim que seu conhecimento cresce, experimente usar sintetizadores mais complexos.
  • O custo. Não é necessário quebrar o banco comprando plug-ins caros. Se você está começando, existem muitos sintetizadores bons e gratuitos!

2) Abra sua DAW

Agora crie duas faixas na sua DAW favorita e insira o sintetizador que escolheu no primeiro passo em cada uma delas.

Na primeira, carregue um patch que gosta. Este plug-in vai servir como referência.

Na segunda, carregue o init patch. Você vai reproduzir o patch do primeiro plug-in usando este sintetizador.

Deixe as duas janelas lado ao lado para facilitar a comparação!
O Retrologue 2 da Steinberg é um dos meus sintetizadores subtrativos favoritos.

3) Chegou a hora de mexer!

Agora ajuste parâmetro por parâmetro do sintetizador que iniciou para o mesmo valor do sintetizador de referência.

Use esta sequência:

  1. Osciladores
  2. Amplificador
  3. Filtro
  4. Filter Envelope
  5. LFO
  6. Mod Envelope
  7. Step Filter
  8. Efeitos

4) Ouça com atenção

Durante o processo, veja como cada mudança de parâmetro influi o timbre do patch. Você vai ganhar um conhecimento íntimo sobre os parâmetros do sintetizador com qual está trabalhando.

5) E se estiver em dúvidas…

Ok, falei que não vai precisar ler o manual, mas certamente tê-lo por perto não vai fazer mal… Cada sintetizador possui funções escondidas que você descobre melhor lendo do que mexendo.

Então se você se sente preso no caminho… dê uma olhada no manual. Garanto que vai ser rápido e esclarecedor!

No final deste passo, os dois sintetizadores devem ter timbres idênticos!

6) Repita o processo

Repita o processo com todas as categorias de patches como leads, pads ou baixos. Assim que se sente seguro e quer se aventurar, tente re-criar um patch de uma música de referência, ouvindo só o áudio! Importe Jump na sua DAW, coloque o intro no repeat e tente recriar este timbre você mesmo.

É isso por hoje, obrigado por ter lido!

Quer aprender mais sobre sintetizadores?

Convido você a conhecer meu curso Síntese Subtrativa Desmistificada. O botão abaixo te leva ao site com mais detalhes!

Até a próxima!

Quer mixar melhor?

Preparei um guia com dicas simples e eficientes que vão mudar o jeito que você mixa.

Inscreva-se na minha newsletter e receba esse guia como presente de boas-vindas!

Não mandamos spam. Você pode deixar de receber nossos emails a qualquer hora. Powered by ConvertKit
Posted in Áudio and tagged .