5 passos simples para configurar uma compressão paralela

Em um post anterior, expliquei como funciona a compressão paralela. Neste, eu gostaria de falar sobre como configurar essa compressão. E boas novas! Esse procedimento vai funcionar em qualquer DAW!
 
Pra ouvir o efeito, você vai precisar de um áudio no qual tenha algumas partes mais silenciosas (como uma caixa tocada com vassoura) intercaladas por trechos mais barulhentos (como um bumbo). Nós puxaremos essas partes quietas pra cima, ao invés de simplesmente esmagar os transientes pra baixo. Se você quiser, no fim do post tem um MP3 que se enquadra pra experimentar. Vamos começar?
Compressão paralela - parallel compression

Cinco passos simples pra configurar uma compressão paralela

  1. Importe o material de áudio para uma faixa e duplique-a. Você vai precisar de duas versões idênticas do material. Nota: Se você tem plugins inseridos na faixa, vai precisar duplicar eles também;
  2. Coloque um compressor em apenas uma das duas faixas. Se você já tem plugins na pista, o compressor deve ser inserido como o último plugin na corrente. É necessário que o compressor tenha a possibilidade de configurar ataque rápido e threshold baixo. O R-Compressor da Waves é um dos meus favoritos. Mas a maior parte de plugins que já vem nos DAWs cumprem com essa exigência;
  3. Agora, configure o compressor com os seguintes parâmetros iniciais:
    • Threshold: muito baixo (-50 dBFS ou menos);
    • Taxa de compressão: 2,5:1;
    • Ataque: O mais rápido possível (micro-segundos, se existir a opção);
    • Release: 250 - 350 ms;
    • Knee (se tiver): Brusco.
  4. Agora ajuste o ganho do sinal comprimido usando o controle de make-up gain do seu compressor, até você ouvir um aumento do volume das partes quietas do seu material;
  5. Agora altere os parâmetros de compressão de acordo com seu gosto. Threshold e ataque devem ficar mais ou menos onde indiquei (muito baixo e muito rápido, respectivamente). Taxa de compressão e release afetam a sutileza da compressão.
Segue uma captura de tela com o R-Compressor da Waves configurado para compressão paralela.
 
O R-Compressor configurado para compressão paralela

 Vamos ouvir?

Neste MP3 você ouve um loop de bateria, alternando entre o som original e o som com compressão paralela. Se você quiser, use isso para você mesmo experimentar!
 

Uma nota sobre delay compensation

Se você está mixando em um DAW, precisará prestar atenção na compensação dos atrasos introduzidos pelos plug-ins. No mundo digital, todo plugin precisa de tempo pra processar o sinal de áudio. Dependendo do tempo necessário, isso pode causar um atraso do sinal. Então, se você somar duas faixas com diferentes configurações de plugins (uma com e outra sem compressor), é possível se deparar com problemas de fase.

Se você está ouvindo um som que lembra o efeito phaser quando coloca o compressor na pista, você tem problemas de latência.

Nesse caso, procure por uma função chamada delay compensation (ou algo parecido, variável de acordo com o fabricante) e ative-a em seu DAW.

Encerrando com uma recomendação de livro

Os parâmetros de compressão mencionados nesse post foram tirados do livro Mastering Audio - The Art and the Science de Bob Katz, que, a propósito, é uma leitura altamente recomendável.

E é isso por hoje! Como mencionei acima, escrevi um post explicando a teoria por trás da compressão paralela, que você pode conferir aqui. Para os fãs de YouTube, aqui vai um vídeo complementando esse post.

Até a próxima gente!

Norbert

Quer mixar melhor?

Preparei um guia com dicas simples e eficientes que vão mudar o jeito que você mixa.

Inscreva-se na minha newsletter e receba esse guia como presente de boas-vindas!

Não mandamos spam. Você pode deixar de receber nossos emails a qualquer hora. Powered by ConvertKit
Posted in Compressão, Mixagem and tagged , , , .